Investimento em mídias no rádio crescem durante a pandemia

Dentre todos os veículos de comunicação tradicionais, o rádio é o que melhor se adaptou aos novos hábitos de consumo e tecnologias disponíveis. Muitos pensavam que com o surgimento da internet, o rádio perderia sua força. Mas engana-se quem pensa assim, o rádio segue campeão em termos de alcance. O estudo Inside Radio 2020 para o ‘Aerpao Vivo’ mostra dados expressivos, 78% do total de entrevistados se mostrou sendo consumidores de rádio quase que diariamente.

A capacidade de adaptação do rádio é visível, 78% ouvem rádio em casa, 18% no carro e 3% no trabalho, a faixa etária varia entre 20 a 49 anos. O tradicional aparelho de rádio não saiu de moda, já que 81% consome o meio por aparelho radiofônico, 23% dos ouvintes escutam o rádio pelo celular, 3% pelo computador, e 4% em outros equipamentos.

Segundo o estudo, nos últimos 30 dias, teve um aumento de 38% de ouvintes sintonizados em plataformas digitais em comparação com o ano passado, e o tempo médio de consumo diário também aumentou, de 2 horas e 40 minutos para 2 horas 55 minutos. Entre os internautas brasileiros, constatou-se que uma parcela significativa, de 57%, escuta rádio. E destes, 16% sintonizam alguma emissora enquanto navegam, o que indica público e oportunidades no universo online para a presença radiofônica em seus diversos formatos.

O estudo revela que o relacionamento do público de rádio com as redes sociais têm conquistado cada vez mais espaço e ampliado a interação com a programação. Ao longo do primeiro semestre de 2020 foram publicados mais de 3,5 milhões de tweets sobre rádio. Dentre essas postagens, quase 650 mil são de autores únicos, com mais de 987 milhões de impressões, cerca de 10 milhões de likes e 1,2 milhões de replies.  24% desses tweets contém algum formato de mídia.

O rádio apresentou no primeiro semestre de 2020 um total de mais de 5200 anunciantes, distribuídos em mais de 6200 marcas. Desses, 2700 anunciantes são exclusivos, veiculando publicidade somente no meio. Para marcas exclusivas, esse número chega a 3093. Foram 2232 novos anunciantes no meio durante o período, ou seja, que não haviam feito publicidade em rádio no primeiro semestre de 2019. Para novas marcas, esse número chega a 2924.

Entre os diferentes setores que anunciam no meio, se destacam: Serviços ao Consumidor (30,5%), Comércio (27,9%) e Financeiro & Securitário (9,3%) que, juntos, concentram mais de 2/3 do investimento (68%). Ao analisarmos as maiores categorias de anunciantes nas praças monitoradas, Super, Hipermercados e Atacadistas (10,8%), Ensino Escolar & Universitário (7,2%), e Serviços de Saúde (6%) se destacam, mostrando a força do meio para as estratégias de mídia em diferentes segmentos.

Fonte: Kantar IBOPE Media

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *